BIO
Marcelo Moscheta is an artist based in Campinas, Brazil.

As a traveler who looks at the world like the romantics of the 19th Century or the Great Explorers of the Artic, he has made installations, drawings and photographs born from his time in remote locations.

Through uncommon materials and techniques his works addresses the notion of ephemerality and mankind's efforts to understand and recreate physical and geographical aspects found in natural environments. He is interested in the landscape as a representational system from where man can measure his own world. Drawing, printmaking, photography and installations are his main media.

Moscheta received his BFA and MFA from the State University of Campinas and was the recipient of numerous grants and awards in Brazil. He has participated in several group shows and recent solo exhibitions in São Paulo, Frankfurt, Lisbon and Milan.

His works are included in the collections of museums in Brazil and Belgium and private collections in the U.S.A., Italy, Russia and Latin America.

His last artistic residences includes sailing in the High Arctic and walkings in the Atacama Desert, crossing all the border extention between Brazil and Uruguay and in the Galiza region, in Spain as well as Bretagne in France and the Amazon Forest. In 2013 he spent some time in Sichuan Province in China and 2014 in Vancouver as a resident for the Vancouver Biennale.


_______________________________________________


Moscheta é um grande viajante que, desde o início da sua carreira artística, no ano 2000, tem realizado instalações, desenhos e fotografias que nascem de seus deslocamentos por lugares remotos, onde vai juntando objetos que provêm da natureza e que ele reproduz por meio do desenho e da fotografia. Suas obras tentam localizar esses elementos geograficamente, sejam as localizações reais ou ficcionais.

Essa experiência de viajar e conviver em ambientes agrestes despertou seu interesse em retratar, por meio de suas obras, a memória de um lugar, elaborando um procedimento de classificação similar ao arqueológico.

Entretanto, ainda quando suas instalações incorporam e combinam a coleta de elementos com o desenho, a fotografia e a informação registrada, não existe nele um interesse de transformar a experiência em uma viagem de exploração científica, mas, sim, de questionar, por meio da arte, as fronteiras do território, da geografia e da física. Um fio condutor na obra de Moscheta é a grande fascinação que tem pela natureza, assim como a sua disposição aberta à viagem e à experiência da paisagem.

Sua prática não pode ser classificada facilmente; poderíamos dizer que é uma mistura de observação científica e ficcional, land art e práticas orientadas pelo lugar.



Marcelo Moscheta vive e trabalha em Campinas, Brasil.